domingo, 19 de julho de 2009

Lugar escala



dói fazer-te sol
se todo guapo
tão cheio de amanhãs
qual poesia te concebe?



refaça-o amanhã
infante acordar tardio
céu azul pintado
existe poesia tão leve?

mi

diga-me quem chora
se há Remédio na lua
grite que não minguarás
e a poesia te bebe?

sol

o sol de lá será talvez
quando a nova lua te esconde
se toda cheia e tão clara de nua
a poesia te descreve?



de onde a luz seja fase do tempo
e seu ponto doce a parte vista
receita-me lua o que aprendes com do sol
a poesia te recebe?

si

saber-se luz de estado imperativo
dependente e pequeno satélite
seu brilho branco não permite o talvez
a poesia te verve?



Sandoval Fagundes, João Pessoa - 30 de março de 1997

Um comentário:

Anônimo disse...

dó re mi fa sol lá si ...dó
doce lua que no silencio recebe o a sombra... eclipse