domingo, 19 de julho de 2009

Lugar agora

estou diante do mar
motores ligados em mim
piso frouxo
de pó
parado

estou ciente do mar
fina poeira movediça
sigo as danças
do seu interno
pulsante

reclamo a calma do mar
perdido em suas ruas invisíveis
seus alívios
de movimento
acordado

amante assíduo do mar
percebo o agito nas calmarias
estou submerso
em suas ondas
vivendo


Sandoval Fagundes, João Pessoa - 04 de abril de 1997

Um comentário:

Anônimo disse...

nascente