segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Lugar nômade

Um artista vem
e trabalha a pedra fria
doa-lhe a alma
e faz dela seu mundo estático

Quando sopra-lhe a face
a estrada é a parte sem destino
mesmo que seja certa a construção
reservam-se as promessas de ida

O artista vai
e trabalha a pedra viva na volta
se for real todo esse trânsito sem rumo
servirá de suporte para a liberdade